Devocionais com o Pastor
A estrela sobrenatural de Belém

Para Meditar: Onde está o recém-nascido Rei dos judeus? Porque vimos a sua estrela no Oriente e viemos para adorá-lo. (Mateus 2.2)

Repetidamente a Bíblia desconcerta nossa curiosidade sobre como certas coisas aconteceram. Como essa “estrela” fez os magos irem do Oriente até Jerusalém?

Não é dito que a estrela os guiou ou seguia antes deles. É dito apenas que eles a viram no Oriente (versículo 2), e foram a Jerusalém. E como aquela estrela os precedia no pequeno percurso de cerca de oito quilômetros de Jerusalém a Belém, como diz o versículo 9? E como uma estrela parou “sobre onde estava o menino”?

A resposta é: Não sabemos. Há inúmeros esforços para explicá-lo em termos de conjunções de planetas, cometas, supernovas ou luzes miraculosas. Simplesmente não sabemos. E quero exortá-lo a não se preocupar em desenvolver teorias que, por fim, são apenas tentativas e têm pouquíssima relevância espiritual.

Eu arrisco uma generalização para alertá-lo: Pessoas que se ocupam e se inquietam com tais coisas – como a estrela agia, como o Mar Vermelho se abriu, como o maná caía, como Jonas sobreviveu no peixe, e como a lua se transforma em sangue – são geralmente as pessoas que têm o que eu chamo de mentalidade para o periférico. Você não enxerga neles um profundo apreço pelas grandes coisas centrais do evangelho — a santidade de Deus, o horror do pecado, a incapacidade do homem, a morte de Cristo, a justificação somente pela fé, a obra santificadora do Espírito, a glória do retorno de Cristo e o juízo final. Tais pessoas sempre parecem estar conduzindo você a um desvio com um novo artigo ou livro. Há pouca alegria no que é central.
Mas o que é claro sobre essa questão da estrela é que ela está fazendo algo que não pode fazer por si mesma: ela está guiando os magos para o Filho de Deus a fim de que o adorem.

Há apenas uma Pessoa no pensamento bíblico que pode estar por trás dessa intencionalidade nas estrelas: o próprio Deus.
Assim, a lição é clara: Deus está guiando estrangeiros a Cristo para que o adorem. E para cumprir esse propósito, ele está exercendo influência e poder globais, provavelmente mesmo universais.

Lucas mostra Deus influenciando todo o Império Romano para que o recenseamento ocorra no momento exato para conduzir uma virgem a Belém, de modo a cumprir a profecia com a sua chegada. Mateus mostra Deus influenciando as estrelas no céu para dirigir magos estrangeiros a Belém a fim de que possam adorar Jesus.

Esse é o propósito de Deus. Ele o fez naquele tempo. Ele ainda o está fazendo agora. Seu objetivo é que as nações — todas as nações (Mateus 24.14) — adorem o seu Filho.

Essa é a vontade de Deus para todos em seu escritório no trabalho, em sua vizinhança e em sua casa. Como diz João 4.23: “Porque são estes que o Pai procura para seus adoradores”.

No início de Mateus, ainda temos um padrão de “venha-veja”. Mas no final o padrão é “vá-diga”. Os magos vieram e viram. Nós devemos ir e dizer.

Porém, o que não é diferente é que o propósito de Deus é a reunião das nações para que adorem o seu Filho. A exaltação de Cristo na adoração fervorosa de todas as nações é a razão pela qual o mundo existe.

 


Página 1 de 262

Versiculos

Hebreus, 10:35,36 - Não abandoneis, portanto, a vossa confiança; ela tem grande galardão. Com efeito, tendes necessidade de perseverança, para que, havendo feito a vontade de Deus, alcanceis a promessa.

Visite-nos

Brasil - São Paulo - SP
Endereço: R. Nova dos Portugueses, 483
(proximo a estação do metro Santana)
Bairro:  Santa Teresinha
Fone: 2236-0720
Email: contato@igrejaplenadagraca.com