O que acontece quando a Igreja Ora ?
News image

Texto : Atos 12

Algo poderoso e maravilho acontece quando a igreja ora. Não existe poder maior quando uma igreja está reunida em oração. Atos 12 nos ensinam lições preciosas acerca do poder da oração coletiva.

1. A IGREJA É ALVO DE PERSEGUIÇÃO (At 12.1-4)
Os versos de 1-4 nos ensinam três lições importantes:

* O Diabo sempre perseguirá a igreja
Herodes é um instrumento do Diabo para perseguir a igreja, naquele momento em que o evangelho se esparramava pelo mundo, alcançando também aos gentios. O Diabo sabe que a igreja é vitoriosa e que as forças do mal jamais poderão destruí-la. Se ele não pode destruir a igreja, ele vai maltratar os cristãos. Herodes ordenou a prisão de vários cristãos e alguns foram mortos, dentre eles o apostolo Tiago (irmão de João e primo de Jesus). Pedro seria a próxima vitima.

* O Diabo perseguirá a igreja maltratando a sua liderança.
Se você deseja destruir um grupo, destrua a sua liderança. O alvo do Diabo era matar ou maltratar os líderes da igreja. Tiago já havia sido morto e o próximo seria o apóstolo Pedro, que já estava preso, sob forte vigilância. Esta mesma tática é usada hoje, quando os líderes da igreja e suas respectivas famílias sofrem os mais implacáveis golpes do inimigo. Por isso a bíblia recomenda que a igreja ore pelos seus líderes espirituais e os tenham em alta consideração (Hb 13.7 e 17; 1Ts 5.12-13).

* A perseguição a Igreja sempre será agradável ao mundo.
Jesus já havia dito aos seus apóstolos: Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro do que a vós outros, me odiou a mim. Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia, não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso, o mundo vos odeia (Jo 15.18-19). A atitude de Herodes em perseguir e matar os cristão era algo agradável aos olhos dos judeus. Assim como os escândalos e os fracassos de cristãos hoje são deleitáveis a mídia secular. O mundo ou a sociedade sem Deus odeia a Jesus e também os seus seguidores.

2. A IGREJA RESISTE COM ORAÇÃO (At 12.5-10)
Quando o Diabo ataca, a igreja deve resistir com a oração: Pedro, pois, estava guardado no cárcere; mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele (At 12.5). Este é o versículo chave do capítulo ou o ponto principal desta narrativa. Uma situação: Pedro estava preso e guardado na sela de segurança máxima. Uma reação: mas havia oração incessante a Deus por parte da igreja a favor dele. Quatro lições: (1) Quem orava? A igreja ou muitos irmãos – v 12. (2) Como eles oravam? Oração incessante ou continuamente, ao longo de uma semana. (3) A quem eles oravam? A Deus, o soberano Senhor. (4) Pelo que oravam? Eles oravam a favor de Pedro ou por sua libertação da prisão.

Deus derrota a Satanás por meio do poder de uma igreja que ora. O poder de Deus é liberado quando a igreja ora de forma objetiva e persistente. “Quando é que a mão de Deus opera? Quando a igreja de Deus ora. A mão de Deus não opera à parte da oração. Oração é que move a mão de Deus. Nós amarramos as mãos de Deus pela nossa incredulidade. Ouço os membros da igreja reclamando porque as pessoas não estão sendo salvas, porque a igreja não está crescendo, porque as contas não estão sendo pagas. As mãos de Deus operam quando o povo de Deus ora” (Warren W. Wiersbe).
O que acontece quando a igreja ora? Vejamos no texto.

* Deus envia paz ao crente perseguido (v.6)
Enquanto a igreja orava, Pedro dormia tranquilamente mesmo naquela situação (v.6). Somente a oração é capaz de nos trazer a paz de Deus em momentos de dificuldades (Is 41.10; Fp 4.6-7). Pedro se apropriou da promessa de Deus: Em paz me deito e logo pego no sono, porque Senhor, só tu me fazes repousar seguro (Sl 4.8).
O que acontece quando a igreja ora?

* Deus envia o seu anjo (v.7)
Enquanto a igreja orava, Deus trabalhava. O texto nos revela detalhes da libertação de Pedro. Deus envia um anjo para libertar o seu querido apóstolo. “O anjo chamou Pedro da prisão, mas foi à oração que foi buscar o anjo” (Thomas Watson). Os anjos têm um ministério especial de servir aos eleitos de Deus (Sl 34.7; Hb 1.14). Eles recebem ordens divinas para cuidar de cada um de nós (Sl 91.11-12).

• Deus envia luz nas trevas (v.7)
Enquanto a igreja orava, Deus iluminava. Uma luz sobrenatural foi derramada sobre a prisão. Deus derrama luz nas nossas trevas (Sl 112.3).

• Deus envia despertamento e libertação (v.7)
Enquanto a igreja orava, o anjo despertou Pedro quebrando todas as cadeias que o prendiam. A oração produz libertação física e espiritual (Mc 9.29).

• Deus dá direção (vv.8-9)
Enquanto a igreja orava, Deus guiava a Pedro dentro da prisão. O anjo do Senhor conduzia Pedro para fora do presidio. Deus nos conduz no meio da provação e da tribulação. Ele nos toma pela mão e nos ajuda (Is 41.13). Ele é o nosso guia até a morte (Sl 48.14).

• Deus abre portas (v.10)
Enquanto a igreja ora, Deus abria as portas da prisão, de maneira automática. Deus abriu o Mar Vermelho quando o povo estava encurralado pelos egípcios (Ex 14.29). Quando oramos, Deus abre portas para a evangelização (Cl 4.2-3).

* Deus espanta o seu povo com milagres (vv.11-16)
Enquanto a igreja orava, Deus fazia milagres. Quando já solto, o anjo deixou Pedro livre e sozinho. Então, Pedro, caindo em si, disse: Agora, sei, verdadeiramente, que o Senhor enviou o seu anjo e me livrou da mão de Herodes e de toda a expectativa do povo judaico (At 12.11). Pedro se dirige a casa de Maria para dar a boa notícia de que Deus havia respondido a suas orações. O problema é que quando Pedro bateu a porta, os irmãos não acreditaram que Deus havia respondido a suas orações, exceto a criada Rode (At 12.13-15). Os irmãos acreditavam em Deus por isso oraram incessantemente por Pedro. Mas quando a resposta bateu à porta de onde eles oravam, eles se recusaram a crer. Repetiu-se a história de Zacarias, pai de João Batista (Lc 1.5-25). Pedro continuou batendo até que eles abriram e viram o milagre de Deus (v. 16).

• Deus frustra os planos dos inimigos (vv.18-23)
O dia amanheceu e Pedro não estava no cárcere, apesar de toda a segurança que foi montada por Herodes (vv. 18-19). Segundo a lei romana, os soldados que deixaram Pedro fugir foram punidos com a morte (At 16.27 e 27.42). Herodes foi ferido pelo anjo do Senhor e morreu, por não reconhecer que só o Senhor é Deus (Is 42.8). Em vez de Pedro ser morto por Herodes, o rei é que foi morto pelo Deus de Pedro. O mesmo anjo do Senhor que tirou Pedro da prisão, foi o mesmo que tirou a vida de Herodes enviando-o para a prisão eterna.

CONCLUSÃO
Os dois últimos versos de Atos 12 dizem: Entretanto, a palavra do Senhor crescia e se multiplicava. Barnabé e Saulo, cumprida a sua missão, voltaram de Jerusalém, levando também consigo a João, apelidado Marcos (At 12.24-25). Duas lições importantes: (1) Ainda que autoridades constituídas se levantem contra a igreja do Senhor, Deus é quem está no controle. Parecia que Herodes tinha o controle e a igreja seria derrotada, mas no final, Herodes está morto e a igreja crescia e se multiplicava. (2) A oração é uma arma importante para auxiliar a igreja a cumprir a sua missão evangelizadora, principalmente, quanto o inimigo se levanta contra ela. Algo maravilhoso acontece quando a igreja começa a orar.

Silvio Félix
Diácono e líder na IPG - Sede

 

Versiculos

Isaías, 40:29 - Faz forte ao cansado e multiplica as forças ao que não tem nenhum vigor.

Visite-nos

Brasil - São Paulo - SP
Endereço: R. Nova dos Portugueses, 483
(proximo a estação do metro Santana)
Bairro:  Santa Teresinha
Fone: 2236-0720
Email: contato@igrejaplenadagraca.com